Rio de janeiro
Agenda Inovação Agosto -   Setembro    -     Outubro   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Apoio Financeiro e Editais

Notícias

Governo de SP estuda parceria entre Butantan, USP e farmacêutica Novartis

Nesta quarta (24), o governador de São Paulo João Doria (PSDB) se encontrou com o presidente do Instituto Novartis de Pesquisa Biomédica (Nibr, na sigla em inglês), James Bradner, para discutir uma eventual parceria da empresa com a USP e com o Instituto Butantan, na área de pesquisa. O encontro aconteceu no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

 

“Nos últimos três anos a Novartis do Brasil teve um investimento de US$ 150 milhões (R$ 565 milhões) em programas de pesquisa. Agora o objetivo é que o Governo de São Paulo, ao lado da Novartis, possa realizar um programa para os próximos 10 anos”, afirmou o Doria.

 

Segundo a assessoria de imprensa do governador, Doria e Bradner irão se encontrar novamente no Brasil para conversar sobre a ideia.

 

Não foi explicitado qual seria o escopo desse programa. Algumas das áreas de atuação da Novartis envolvem terapia celular, terapia gênica e os chamados imunobiológicos, área em que o Butantan também têm expertise.

 

Recentemente a empresa suíça lançou uma terapia celular para o tratamento de leucemia e uma terapia gênica para tratar uma doença que leva à cegueira.

 

Hoje a Novartis atua nas áreas de oftalmologia, neurologia, sistema respiratório, imunologia (que engloba dermatologia e reumatologia, por exemplo), cardiovascular e oncologia. Em parceria com governos também há produção de drogas a preço custo para tratamento de hanseníase, no Brasil, e malária, na África.

 

O Butantan já firmou parcerias com outras farmacêuticas. Entre os principais acordos, o da MSD ( Merck, nos EUA) foca o desenvolvimento da vacina da dengue e pode render mais de US$ 100 milhões (cerca de R$ 376 milhões) ao instituto, além de royalties.

 

Também há uma parceria com a Libbs, no valor de R$ 40 milhões, para a construção de uma fábrica de medicamentos monoclonais —para tratamento de câncer e doenças autoimunes. Segundo o Butantan, a fábrica produzirá e fornecerá ao SUS seis drogas: trastuzumabe, rituximabe, bevacizumabe, etanercepte, adalimumabe e palivizumabe.

 

O objetivo declarado de Doria em Davos é atrair investimentos estrangeiros para São Paulo. Uma das metas é formar parcerias com o setor privado para que o Butantan se torne o maior produtor mundial de vacinas. A Novartis recentemente vendeu sua área de vacinas para GSK, com a qual o Butantan também tem uma parceria.

 

 

 

(Fonte: Meridional FM - 24/01/19)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE