Rio de janeiro
Agenda Inovação Dezembro -   Janeiro    -     Fevereiro   Avançar Voltar 2017 -   2018 Avançar
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
SENAI

Notícias

Empreendedores brasileiros conhecem maior campus de startups do mundo em Paris

Empreendedores de 14 startups brasileiras conheceram, nesta terça-feira, a Station F, o maior campus de startup do mundo, com área de 34 mil metros quadrados. Eles participam da primeira edição do StartOut Brasil, programa de internacionalização de startups realizado pelo MDIC, Apex-Brasil, Ministério das Relações Exteriores, Sebrae e Anprotec.

 

Quem recebeu a comitiva do StartOut foi Marwan Elfitesse, diretor de relacionamento com startups. Ele explicou que a Station F abriga 27 programas de incubação, aceleração e fomento a startups.

 

Uma dessas iniciativas é o Founders Program, gerido pela própria Station F, que recebe empresas em estágio inicial e oferece estação de trabalho e networking com as grandes corporações que estão instaladas no campus, como Facebook, Microsoft e Amazon. São essas grandes corporações que gerem os outros 26 programas que funcionam no local.

 

Como explicou o diretor de Inovação e Propriedade Intelectual do MDIC, Igor Nazareth, que acompanha a missão, um dos objetivos do StartOut Brasil é promover a mudança de mentalidade das empresas brasileiras.

 

“Hoje, elas pensam num mercado local e regional para, depois, se expandirem para o mercado nacional. Existem oportunidades lá fora para que eles possam complementar e melhorar seus negócios. No exterior, elas podem também ter acesso a novas tecnologias, investimentos, parcerias e talentos que fortalecem sua atuação no Brasil”, destacou.

 

A agenda da missão, montada pela equipe da Secretaria de Inovação e Novos Negócios do MDIC e MRE, Apex-Brasil, Sebrae e Anprotec busca promover uma imersão no ecossistema parisiense, colocando as startups em contato com os principais atores, como investidores, incubadoras, aceleradoras, potenciais clientes e órgãos governamentais franceses.

 

Blablacar

De noite, os empreendedores visitaram um escritório da Blablacar, plataforma de transporte criada na França que conecta motoristas e passageiros e promove o compartilhamento de carros em viagens de longa distância. A Blablacar é considerada um “unicórnio”, nome dado a empresas que têm avaliação igual ou superior a US$ 1 bilhão.

 

Como explicou Julien Lafouge, diretor para a América Latina da Blablacar, no processo de internacionalização é importante desenvolver uma estratégia adequada para o mercado alvo. Além disso, é importante conhecer bem e envolver os atores envolvidos no processo de instalação da empresa.

 

“As pessoas têm ideias preconcebidas sobre internacionalização. Nesta missão, vocês contam com o apoio de diversas instituições do governo, o que é muito importante para não perderem informações necessárias neste processo. Vir para a Europa acompanhado de representantes do  MDIC e de outros realizadores do programa StartOut Brasil demonstra a seriedade das empresas e o comprometimento do governo em promover ideias inovadoras”, completou.

 

Fomento à inovação

De manhã, as startups visitaram a Paris & Co. Eles foram recebidos por Julien Gharrou, coordenador de projetos.

 

Gharrou apresentou iniciativas de fomento da agência de inovação e empreendedorismo da cidade de Paris. A Paris & Co promove a integração de startups a grandes corporações como Carrefour, BIC e L’Oreal. Eles também promovem missões anuais com representantes de empresas para conhecerem iniciativas inovadoras desenvolvidas por startups de diferentes países.

 

Desde 2010, eles facilitaram mais de 200 testes, experimentos e provas de conceitos das tecnologias e soluções das startups na cidade de Paris. Mais de 300 empresas receberam acompanhamento da agência parisiense.

 

Como explicou o coordenador de projetos da Paris & Co, há um programa para auxiliar a entrada das empresas estrangeiras no mercado francês. “Três vezes ao ano, recebemos startups de outros países. Realizamos workshops para os empreendedores conhecerem as particularidades do ecossistema da França. Avaliamos se a ideia é inovadora, se há competidor aqui e o perfil da equipe”, disse.

 

Também foi realizada visita ao Le Hub – Bpi France. Os empreendedores conheceram programas similares ao StartOut Brasil. O banco francês realiza missões periódicas para China e Estados Unidos.

 

“Queremos que o mundo saiba que temos boas soluções e inovações. Queremos também atrair outras empresas para França”, disse Morgan Autret, gerente da diretoria de inovação do Bpi France.

 

Ele apresentou o portfólio de instrumentos de apoio do banco francês para fomentar a inovação. As ações são realizadas em três eixos: financiamento, investimento e acompanhamento.

 

“No French Tech Ticket, por exemplo, são selecionadas 70 startups maduras do mundo todo e elas recebem um apoio de 45 mil euros para se instalaram na França. Também facilitamos o processo de obtenção de visto. Na última edição do programa, sete empresas brasileiras estavam entre as selecionadas pelo governo francês”, disse.

 

Agenda

A quarta-feira (6) é reservada às reuniões individuais de negócio. Duas startups da missão, Portal Telemedicina e Synappse Assist, serão recebidas por um parlamentar francês que quer conhecer de perto a solução desenvolvida pelos empreendedores. O demoday está programado para acontecer nesta quinta-feira (7). Neste dia também haverá uma visita ao Le Village by CA. Trata-se de uma iniciativa financiada pelo banco francês Crédit Agricole para fomentar inovações desenvolvidas por startups.

 

StartOut Brasil

O StartOut Brasil selecionará, por ciclo de imersão, até 15 startups com potencial de internacionalização para participar de missões no exterior. As empresas terão acesso à consultoria especializada em internacionalização, mentoria com especialistas no mercado de destino e treinamento de pitch. Além disso, durante a missão, cumprem agenda de trabalho montada para promover a prospecção de clientes e investidores e a conexão a ambientes de inovação. No último dia da missão, é realizado um demoday para investidores. Quando retornam ao Brasil, as empresas terão apoio para definir sua estratégia de internacionalização e realizar a efetiva instalação no mercado-alvo (softlanding).

 

No ano que vem, serão realizadas três missões de internacionalização: em Berlim (maio), Miami (agosto) e Lisboa (novembro).

 

 

 

(Fonte: Agência Abipti – 05/12/2017)

Destaques

Livro Branco da Inovação Tecnológica

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE