Rio de janeiro
Agenda Inovação Novembro -   Dezembro    -     Janeiro Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Philips escolhe Brasil para desenvolver tecnologia inovadora

A Philips pretende aprimorar a próxima geração de soluções em iluminação com base na tecnologia Organic Light-Emitting Diode (OLED na sigla em inglês) no Brasil, por meio de um projeto firmado com a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI) e suporte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Atualmente, o OLED é pesquisado e desenvolvido pela Philips somente na Alemanha.

Com o projeto EMO (Emerging Marketing OLED), terá duração de três anos, a Philips vai produzir luminárias OLED que deverão ser comercializadas no Brasil a partir de 2013. A tecnologia é reconhecida por revolucionar o conceito de fonte de iluminação, pois permite o uso de lâminas emissoras de luz no lugar de lâmpadas e pela eficiência energética que proporciona.

"Quando falamos de OLED, falamos do futuro da iluminação que já vem se transformando com a realidade dos LEDs. Entre outras vantagens, é uma tecnologia energeticamente eficiente. Em breve, recorreremos a estes recursos em todos os ambientes e vivenciaremos uma experiência única com a iluminação", diz o diretor de Tecnologia da Philips do Brasil, Walter Duran, em nota de divulgação.

As luminárias OLED serão a nova tendência em iluminação e destacam-se por sua alta eficiência energética, que possibilita uma economia de até 80%, com vida útil de cerca de dez mil horas. Já quando o assunto é a potência dessa luz, o OLED pode chegar a 150 (Lumens/Watt), 15 vezes mais do que as lâmpadas incandescentes.


(Fonte: Valor Econômico – 29/11/2010)



Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE