Rio de janeiro
Agenda Inovação Julho -   Agosto    -     Setembro   Avançar Voltar 2018 -   2019 Avançar
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Indústria cresce em metade dos ramos pesquisados em novembro

A produção industrial cresceu em 12 dos 24 ramos pesquisados na passagem de outubro para novembro, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

As principais influências positivas foram de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (com expansão de 6,5%, acumulando ganho de 26,6% nos dois últimos meses e eliminando a perda de 18,5% registrada em setembro) e de perfumaria, sabões, produtos de limpeza e de higiene pessoal (com alta de 1,9%, após recuo de 10,3% nos meses de setembro e outubro).

 

O segmento de metalurgia cresceu 2,2%, mantendo a tendência positiva iniciada em agosto de 2017, período em que acumulou expansão de 7,6%.

 

O setor de produtos alimentícios teve crescimento de 0,7%, recuperando parte da redução de 5,3% verificada em outubro.

 

Já a atividade de celulose, papel e produtos de papel teve expansão de 2,3%, o quarto resultado positivo consecutivo, acumulando nesse período avanço de 3,7%.

 

Entre os onze ramos que reduziram a produção em novembro ante outubro, o setor de bebidas (-5,7%) teve o principal impacto negativo sobre a média global da indústria.

 

Outras quedas relevantes foram observadas nos setores de artigos de vestuário e acessórios (-5,8%), produtos diversos (-9,0%), máquinas e equipamentos (-1,4%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (-0,7%).

 

“A produção de automóveis cresce, é a parte de autopeças que vem com contribuição negativa. A atividade de veículos automotores tem dois resultados negativos em sequência, mas os crescimentos de meses anteriores tinham sido muito intensos. A produção de caminhões também tem crescimento na margem (em relação a outubro)”, explicou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

 

 

 

(Fonte: Exame – 05/01/2017)

Destaques

Livro Branco da Inovação Tecnológica

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE