Rio de janeiro
Agenda Inovação Novembro -   Dezembro    -     Janeiro Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Barreiras ao comércio aumentam temor de nova recessão mundial

Embora nunca haja uma causa única nas crises, existem fatores fatores preponderantes. Na Grande Recessão a partir de 2008, foi a bolha financeiro-imobiliária americana inflada por falhas na regulação no mercado de hipotecas, e que explodiu com ondas de choques pelo mundo. A economia mundial volta a se deparar com um quadro de tensões.

 

Economistas e analistas de mercado ainda formarão melhor juízo sobre as oscilações bruscas globais nos últimos dias, ocorra ou não uma recessão. É certo, porém, que dificuldades no comércio internacional potencializadas pelo Trump protecionista têm a ver com este momento.

 

Trump recuou, mas não completamente, da taxação de uma parcela de US$ 300 bilhões das importações chinesas, que entraria em vigor em 1º de setembro, postergando-a para 15 de dezembro.

 

Há fatos concretos neste jogo perigoso: a indústria da China cresceu em julho 4,8%, a mais baixa taxa desde 2002; ou seja, desacelera, o que significa importar menos; já a economia alemã, foi anunciado quarta-feira, encolheu 0,1% no segundo trimestre, e pode estar próxima de uma recessão se a tendência se mantiver. Japão e Grã-Bretanha seguem o mesmo percurso.

 

Chamou a atenção de analistas, no meio da semana passada, o fato de as taxas dos títulos públicos americanos de longo prazo terem ficado abaixo dos juros dos papéis de curto prazo, o que não acontecia desde 2007. Parece um detalhe.

 

Mas reflete o temor dos investidores diante do futuro, e essa inversão de taxas há 60 anos sinaliza sem errar a proximidade de uma recessão. Barrar as trocas comerciais é sempre arriscado.

 

 

 

(Fonte: Globo Online - 18/08/19)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE