Rio de janeiro
Agenda Inovação Abril -   Maio    -     Junho   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
Políticas Públicas e Economia

Notícias - Políticas Públicas e Economia

Senai: Orientado para a inovação

Artigo Publicado no Boletim Tecnológico SENAI INOVAÇÂO

Ano 1/ N. 1

 Jan/Fev/ Março 2007

 

Senai: Orientado para a inovação

 

Roberto Nicolsky

 

    No atual cenário globalizado, em que praticamente todos os produtores do mundo disputam o mercado de cada país, os desafios da competitividade são levados ao seu extremo. Todos os produtos e processos de fabricação precisam incorporar mais e mais inovações para conseguirem uma luz ao sol na arena global e assegurar uma parcela crescente do mercado mundial.

 

Sem esse fluxo contínuo de inovações, que vai mudando os produtos de modo sutil, a indústria corre o risco de se marginalizar e não avançar. E quando as empresas perdem o seu dinamismo, o país cresce lentamente, minguando aos poucos a sua fatia da dinâmica economia mundial. Isso é o que acontece com o nosso país há 25 anos, um quarto de século. Toda uma geração de brasileiros encontrou poucos postos de trabalho quando chegou à idade apropriada, frustrando-se.

 

Essas inovações são pequenas melhorias que, ao serem agregadas, tornam o produto um pouco melhor do era antes, para o seu usuário ou consumidor.  É essa acumulação que vai mudar completamente o produto no final, tornando-o mais competitivo. E vai assegurar parcela cada vez maior no mercado, fazendo as empresas progredirem e a economia crescer.

 

Esse é o conceito de inovação, ou seja, é a agregação de algo novo em um produto, ou processo, já existente. É por vezes chamada, redundantemente, de inovação incremental. Esse mecanismo simples, mas levado à condição de estratégia da política industrial, fez os países orientais liderarem o crescimento econômico nos últimos 40 anos.

 

Essas pequenas inovações, que devem ser iniciativa das empresas, são geradas, frequentemente, no chão de fábrica. Isso exige um constante investimento e contém risco tecnológico de insucesso. Os países que tiveram êxito ousaram o compartilhamento dos custos e riscos através da subvenção direta do Estado ao dispêndio do P&D de inovações nas empresas.

 

Dar suporte técnico e ser parceiro no desenvolvimento de inovações na empresa é a vocação do Senai, e precisaria ser instituído por políticas públicas de Estado de compartilhamento de risco. O binômio Senai e inovação transformará o país.

 

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE