Rio de janeiro
Agenda Inovação Agosto -   Setembro    -     Outubro   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
RETS

Notícias - RETS

GE estuda três áreas para abrigar nova fábrica no Brasil

A General Eletric (GE) avalia três áreas na região Sudeste para instalar uma fábrica de turbinas para geração de energia para plataformas de petróleo. Atualmente, a empresa fornece esses equipamentos, mas os produz fora do País.

A companhia considera também a expansão de uma das três fábricas da GE na região, voltadas para outros equipamentos, para abrigar a construção dessas turbinas.

"Estamos avaliando a demanda. Podemos construir algo totalmente novo ou ampliar o que já temos", afirmou Marcelo Soares, diretor da área de energia da GE para a América Latina, durante inauguração da MPX Tauá, usina solar da MPX.

A GE vai fornecer os painéis solares da duplicação da unidade, cuja capacidade instalada é de 1 MW (megawatt), o suficiente para abastecer 1.500 residências.

Os planos da empresa para a área de energia são ambiciosos. Recentemente, foi adquirida a Wellstream, fabricante de tubos flexíveis que ligam plataformas a poços de petróleo.

A multinacional prepara a instalação, no Rio, de seu quinto centro de pesquisas, cujo foco será a área de petróleo e gás. O mercado de energia eólica brasileiro também vem ganhando atenção especial da empresa.

"Fornecemos equipamentos que já são fabricados em nossa unidade de São Paulo. A demanda vem crescendo bastante", observou o presidente da GE para a América Latina, Reinaldo Garcia.

No setor ferroviário, a empresa está com a capacidade de produção da fábrica de locomotivas, em Contagem (MG), praticamente tomada. Sem muito espaço para expandir, está adotando soluções para ter ganhos de produtividade.

"Estamos ajeitando, apertando as coisas, para conseguirmos atender tudo. É o momento do Brasil", frisou Soares.

 

(Fonte: Folha de S. Paulo - 04/08/2011)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE