Rio de janeiro
Agenda Inovação Julho -   Agosto    -     Setembro   Avançar Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
RETS

Notícias - RETS

Pesquisa investiga papel dos principais ‘influenciadores’ do mercado de agroquímicos

Empresa da área de estudos de mercado para empresas do agronegócio, a Spark Inteligência Estratégica investiga quais são os principais influenciadores do mercado de agroquímicos e sementes, após a onda de consolidação ocorrida na indústria e nos canais de distribuição do setor. O levantamento está sendo realizado com a participação de 7,2 mil produtores com diferentes perfis fundiários, abrangendo as culturas de algodão, café, milho e soja, nas principais regiões agrícolas do País.

 

De acordo com o sócio diretor da Spark, engenheiro agrônomo André Dias, o estudo elencará, por exemplo, quais são os profissionais do agronegócio com mais peso sobre decisões de compras do produtor por agroquímicos e sementes, além dos principais serviços prestados ao agricultor, durante a safra, pelos influenciadores.

 

Dias acrescenta que a pesquisa avaliará ainda a qualidade da relação do produtor com as consultorias técnicas locais e regionais, e como esse elo impacta no posicionamento e no uso de agroquímicos e sementes. Mapeará também, em profundidade, segundo a visão dos produtores, a eficácia da mídia especializada no agronegócio e a do trabalho dos institutos de pesquisas agrícolas.

 

“Com essa informação, segmentada por região, será possível identificar iniciativas de marketing mais assertivas a cada tipo de região e perfil de agricultor”, exemplifica Dias. Segundo o sócio da Spark, o novo levantamento será divulgado em quatro etapas, por cultura, entre os meses de maio e setembro próximos.

Dados preliminares

 

Dias ressalta que a execução da etapa piloto do projeto, que reuniu 800 entrevistas com produtores de soja, trouxe à luz um conjunto de dados que permite antever, no curto prazo, que haverá mudanças de rumo nas estratégias de negócios das empresas fabricantes de agroquímicos e sementes, e também do canal de distribuição.

 

“Resultados preliminares apontam que de parte das empresas deverá haver mais investimentos na construção de marcas fortes, pois, com a efetivação das consolidações os portfólios de produtos apresentam agora menos desequilíbrio de oferta entre as principais empresas do setor. Isso vale para quase todas as categorias de produtos”, salienta Dias.

 

“A similaridade de portfólios certamente ensejará ousadia e investimentos representativos dessas empresas, ainda, na redefinição de estratégias de acesso a mercado”, continua ele.

 

No tocante ao canal de distribuição, observa Dias, o piloto da pesquisa diagnosticou um provável cenário, relevante, a ser confirmado na finalização do estudo. “Há uma forte tendência de redução nos índices de fidelização do agricultor ao distribuidor. Nesse segmento, igualmente, quem se diferenciar irá ganhar o jogo”, resume André Dias.

 

Outra tendência importante detectada no piloto da pesquisa diz respeito ao papel dos chamados escritórios de planejamento. Números iniciais reforçam que essas empresas de abrangência regional, em geral dirigidas por acadêmicos, agrônomos e pesquisadores científicos, seguem exercendo forte influência nas decisões de compras de agroquímicos e sementes, graças à reputação de liderança de que gozam os gestores desses empreendimentos.

 

A análise preliminar da Spark constatou que nas quatro regiões cobertas pelo estudo, a adesão às consultorias de planejamento apresenta índices significativos, oscilando de 23% a 45% do total da amostra.

 

Já entre os produtores que afirmaram à Spark contratar às empresas de planejamento na safra, 91% deles declararam que elas os auxiliam nas decisões de compra de agroquímicos, enquanto 84% disseram o mesmo em relação a sementes. Outros dados de suporte embutem evidências quanto à solidez da relação entre produtores e consultores: 67% dos produtores revelaram manter contratos duradouros com escritórios de planejamento (últimos cinco ou dez anos), ao passo que 65% atribuíram as notas 9 e 10 à qualidade do trabalho prestado pelos consultores técnicos.

 

Em pouco mais de cinco anos de atividades, a Spark realizou mais de 160 estudos especiais e 300 cotas de estudos painel atrelados ao agronegócio brasileiro. Nesse período, os profissionais da empresa já aplicaram mais de 130 mil entrevistas e percorreram em torno de 4,5 milhões de quilômetros no território nacional.

 

 

 

(Fonte: Cultivar - 23/04/19)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE