Rio de janeiro
Agenda Inovação Novembro -   Dezembro    -     Janeiro Voltar 2019 -   2020 Avançar
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
RETS

Notícias - RETS

Autoridades concordam com a liberação dos agrotóxicos

A aprovação do uso de 51 agrotóxicos feita no mês passado pelo Ministério da Agricultura, mas que ainda segue em discussão, recebeu o aval positivo do secretário municipal de Agricultura de Mogi das Cruzes, Renato Augusto Abdo, e do presidente do Sindicato Rural da cidade, Gildo Takeo Saito. Ambos concordam que a medida é benéfica principalmente ao aumentar a segurança no consumo de hortaliças.

 

Depois de polêmica criada após a liberação de novos defensivos, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, alegou que os produtos autorizados atualmente têm menos toxicidade e são melhores para o país. Ela adiantou que haverá cada vez mais aprovação de registros de defensivos agrícolas, o que é necessário para o Brasil "entrar na modernidade".

 

"A aprovação de mais produtos mostra mais eficiência, são produtos menos tóxicos. Temos que continuar aprovando mais produtos. Vocês vão ver cada vez mais acontecer registros, para entrarmos na modernidade e termos produtos cada vez menos tóxicos", afirmou a ministra.

 

De acordo com o secretário mogiano, antes de aprovações como estas, existem vários processos que confirmam a segurança da medida. "Tudo começa no governo federal e existem três ministérios envolvidos na aprovação do uso de quaisquer moléculas. Se todos concluírem que a molécula é ambientalmente segura e tem o uso devido para a agropecuária, ela é homologada, sancionada e aprovada", explicou.

 

Além disso, o chefe da Pasta afirmou que é preciso ter cuidado com a divulgação. "Tudo é muito bem monitorado e estudado antes das aprovações. Também existem os treinamentos de capacitação dos produtores rurais para que eles apliquem corretamente e com racionalidade os defensivos agrícolas. Nada é feito sem responsabilidade", pontuou.

 

O presidente do Sindicato Rural relatou que a segurança alimentar sempre recebeu muita atenção. Segundo ele, hoje em dia, está cada vez mais moderna, segura e eficiente. "Nossas famílias também se alimentam de produtos que temos em sítio e ficamos ainda mais satisfeitos com os aprimoramentos. Nós precisamos ver os defensivos como um remédio para as plantas, que protegem o alimento de fungos e bactérias", disse.

 

Os produtos têm indicações de uso referentes à quantidade e destinação, além de receberem fiscalizações do poder público.

 

 

 

(Fonte: Portal News - 18/08/19)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE