Rio de janeiro
Agenda Inovação Agosto -   Setembro    -     Outubro   Avançar Voltar 2020 -   2021 Avançar
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • T
  • Q
  • Q
  • S
  • S
  • D
  • S
  • 01
  • 02
  • 03
  • 04
  • 05
  • 06
  • 07
  • 08
  • 09
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
SENAI

Notícias

Startup usa nanopartículas para reduzir agrotóxicos e proteger a natureza

Os mais de 430 agrotóxicos liberados no Brasil em 2019 fizeram muita gente coçar a cabeça sobre os possíveis danos à saúde e ao meio ambiente causados por essas substâncias. A startup Nanotica propõe uma solução diferente para a questão. A empresa emprega a nanotecnologia para reduzir a dose de agrotóxicos usada nos cultivos. Com isso, a meta é proteger o meio ambiente e reduzir o emprego de agrotóxicos com produtos mais eficientes e que causem menos impacto às pessoas.

 

O processo desenvolvido pela empresa constitui na nanoencapsulação, ou seja, encapsular os agroquímicos em carregadores cujo tamanho está na faixa nanométrica. No caso da Nanotica, as partículas chegam a 100 a 250 nm - 1 milhão de vezes menores do que uma formiga.

 

"Nossa tecnologia aumenta a potência dos agrotóxicos, mesmo em doses mais baixas do que as recomendadas. A partícula nanotizada penetra mais nas células e tecidos vegetais do que na partícula tradicional. Isso é possível devido ao seu tamanho nano e personalização da estrutura", diz a empresa.

 

Máquina nanotizadora

Fundada em 2018 na Argentina, a Nanotica participou de uma imersão na Singularity University, na Califórnia, EUA, onde recebeu uma mentoria focada em como utilizar tecnologias exponenciais para resolver grandes problemas da humanidade.

 

Antes dessa experiência, o modelo de negócio era vender a tecnologia para grandes empresas. Hoje, a Nanotica trabalha diretamente com os agricultores, para que eles mesmos possam aplicar e aumentar o rendimento de suas colheitas.

 

Segundo Julio Laurenza, um dos fundadores da empresa junto com Matias Badano, a tecnologia da startup permite que sejam criados protótipos para clientes em poucos meses.

 

Atualmente, a Nanotica fornece a máquina nanotizadora para os produtores, vendendo as cápsulas vazias. "Entramos no processo de pesquisa e desenvolvimento dos produtores, fazendo testes gratuitos em micro e macroetapas para que eles conheçam nosso trabalho. Sobre implementação, já fizemos alguns testes em laboratório e com alguns produtores em diferentes culturas, como soja, amendoim e limão", completa.

 

Além de vender a tecnologia para agricultores, a ideia da Nanotica é escalar os seus negócios com venda para a máquina nanotizadora. Até o momento, a startup já levantou US$ 300 mil e é avaliada em US$ 3,5 milhões.

 

A empresa foi uma das selecionadas para participar da Aceleradora 100+ da cervejaria Ambev.

 

 

 

(Fonte: BOL - 26/01/20)

Instituições Associadas

ABIFINA
ABIMO
ABINEE
ABIQUIM
ALANAC
FIEMG
IPD FARMA
SEBRAE